Teste seu português! Ser ou estar?

Dando continuidade ao assunto do nosso último post – emprego dos verbos “ser” e “estar” – elaboramos um exercício para você colocar em prática o que aprendeu.

O exercício envolve questões com diferentes tempos verbais.

Ao terminar o exercício, você poderá conferir os acertos e erros, além da pontuação obtida.

 

Compartilhe seu resultado conosco.

Um abraço.

Tamara Krzonkalla

Emprego dos verbos “ser” e “estar”

Foto SER ou ESTAR 2.jpg

Você sabe empregar corretamente os verbos “ser” e “estar” em português?

No post de hoje, vamos apresentar um resumo para ajudar todos aqueles que ainda têm alguma dificuldade.

Emprego do verbo SER

Empregamos o verbo “ser” para indicar:

  • Nome – Exemplo: Meu nome é Paulo.
  • Nacionalidade – Exemplo: Eu sou brasileiro.
  • Estado civil – Exemplo: Ele é casado.
  • Profissão – Exemplo: Nós somos professores.
  • Endereço – Exemplo: Meu endereço é Rua B, 40.
  • Telefone – Exemplo: Meu telefone é 3318-6390.
  • Identificação – Exemplo: Aquilo é uma mesa.
  • Posse – Exemplo: O livro é meu.
  • Matéria – Exemplo: A calça é de algodão.
  • Sabor – Exemplo: O bolo é de laranja.
  • Origem – Exemplo: Manoel é de Portugal.
  • Destino – Exemplo: As flores são para ela.
  • Finalidade – Exemplo: O lápis é para escrever.
  • Direção – A rua é para lá.
  • Preço – O café é R$ 6,00.
  • Localização permanente – Copacabana é no Rio.
  • Tempo, horaSão três horas.
  • Características permanentes – Ela é simpática.

Emprego do verbo ESTAR

Empregamos o verbo “estar” para indicar:

  • Estados não permanentes – Exemplo: Hoje está frio.
  • Localização transitória – Exemplo: Ele está na universidade.
  • Posição – Exemplo: Ela está sentada na cadeira.
  • Vestuário – Exemplo: Ele está de terno.

Usamos também o verbo estar com o gerúndio para indicar uma ação se processando. Exemplo: Os rapazes estão jogando futebol.

Esperamos que o resumo tenha ajudado você a esclarecer suas dúvidas.

Um abraço.

Tamara Krzonkalla

 

O plural de palavras terminadas em -ão

Capa - Plural ão.jpg

Uma dúvida muito frequente dos alunos estrangeiros é a formação do plural das palavras terminadas em –ão.

Qual é o correto? Limãos ou limões? Questãos ou questões?

Esta dúvida ocorre porque as palavras terminadas em –ão podem formar o plural de três formas diferentes:-ões, –ãos ou –ães. Não há uma regra específica a ser seguida, uma vez que o plural dependerá da origem da palavra, da sua etimologia.

A maioria das palavras forma o plural em-ões.

Alguns exemplos:

Balão – balões; opinião – opiniões; eleição – eleições; coração – corações; questão – questões; casarão – casarões.

Salvador tem muitos casarões históricos.

Vejamos mais alguns exemplos.

Plural em –ãos:

Órgão – órgãos; sótão – sótãos; grão – grãos; irmão – irmãos; mão – mãos.

Eles tocam a quatro mãos.

Plural em –ães:

Alemão – alemães; cão – cães; capitão – capitães; pão – pães.

Comprei alguns pães para o lanche.

Existem, ainda, algumas palavras que aceitam mais de uma forma de plural.

Alguns exemplos:

Anão – anões ou anãos; cirurgião – cirurgiões ou cirurgiães; vilão – vilões, vilães ou vilãos.

Então, você pode se perguntar: como memorizar tantos plurais?

Não acreditamos que decorar listas de palavras seja a solução. Somente o tempo e a prática vão ajudar, uma vez que dificilmente esquecemos palavras que usamos constantemente, que fazem parte do nosso dia a dia.

Perguntas? dúvidas? Escrevam para nós!

Muito obrigada pela visita!

Tamara Krzonkalla

Os nomes das cores e suas flexões

Concordância com as cores

Você sabe dizer qual é a frase correta? “Eu tenho duas camisetas cinza” ou “eu tenho duas camisetas cinzas“?

A resposta correta é “eu tenho duas camisetas cinza“. Por quê? Vou explicar a seguir.

O plural das cores tem normas próprias.

Quando a cor é expressa por um adjetivo, não há problema, o plural se faz normalmente. Exemplos: casa amarela, casas amarelas; vestido vermelho, vestidos vermelhos; olho azul, olhos azuis; sapato marrom, sapatos marrons; meia verde, meias verdes; flor roxa, flores roxas; camisa branca, camisas brancas. Exceção: roupa marinho, roupas marinho.

As dúvidas aparecem, normalmente, quando o nome da cor é definido por um substantivo (nome de flor, fruta, substância, etc.). Nesse caso, a cor fica invariável. Exemplos: camiseta cinza, camisetas cinza; poltrona laranja, poltronas laranja; lenço salmão, lenços salmão; sofá violeta, sofás violeta; bicicleta abóbora, bicicletas abóbora; saia creme, saias creme.

As cores formadas pela adição de prefixos seguem a mesma norma. Exemplos: raios infravermelhos (o adjetivo “vermelho” varia) e radiações ultravioletas (o substantivo “violeta” não varia).

Nas palavras compostas, se a cor for representada por dois adjetivos, só o segundo varia. Exemplos: vestido azul-claro, vestidos azul-claros; blusa verde-escura, blusas verde-escuras. Exceções: terno azul marinho, ternos azul-marinho; casa azul-celeste, casas azul-celeste.

Ainda nas palavras compostas, se o último termo for substantivo, a palavra fica invariável. Exemplos: olho azul-turquesa, olhos azul-turqueza; bola verde-oliva, bolas verde-oliva; chinelo amarelo-ouro, chinelos amarelo-ouro.

Muito obrigada pela visita!

Até a próxima! 🙂

Tamara Krzonkalla

Tempos verbais pouco utilizados

Capa - verbos em desuso

Podemos observar na linguagem cotidiana que alguns tempos verbais são pouco utilizados. É o caso do futuro do presente simples do indicativo (falarei, beberei, partirei) e do pretérito mais-que-perfeito simples do indicativo (falara, bebera, partira).

O futuro do presente simples do indicativo é substituído pela locução verbal formada pelo verbo IR no presente do indicativo + infinitivo do verbo principal.

Exemplos:

1- Eu falarei com você amanhã. Eu vou falar com você amanhã.

2- Ele comerá todo o bolo. Ele vai comer todo o bolo.

3- Nós partiremos às dez horas. Nós vamos partir às dez horas.

O pretérito mais-que-perfeito simples do indicativo é, normalmente, substituído pelo pretérito mais-que-perfeito composto do indicativo.

Exemplos:

1- Ele acordara muito tarde naquele dia. Ele tinha acordado muito tarde naquele dia.

2- Eu não entendera todas as questões. Eu não tinha entendido todas as questões.

3- Ele partira muito aborrecido da festa. Ele tinha partido muito aborrecido da festa.

Muito obrigada pela visita. 🙂

Tamara Krzonkalla

Diminutivos

Diminutivos

O diminutivo é muito usado no português do Brasil. Ele pode indicar:

1- Objetos pequenos

Ex: Ela tem um carrinho bem econômico!

2- Carinho, afetividade

Ex: “Filhinho, tenha cuidado!”.

3- Ênfase

Ex: “Fique aqui, juntinho de mim” (bem junto).

4- Desprezo

Ex: Que ruazinha feia!

O diminutivo, muitas vezes, é usado sem uma função definida.

Ex: “Um minutinho, por favor”.

Geralmente, a terminação do diminutivo é –inho, –inha.

Ex: casa – casinha, garota – garotinha, livro – livrinho, bola – bolinha.

Usamos –zinho e –zinha nos seguintes casos:

a) Palavras terminadas em sílaba tônica (sílaba mais forte).

Ex: café – cafezinho, papel – papelzinho, farol – farolzinho.

b) Palavras terminadas em duas vogais (ditongo ou hiato).

Ex: pai – paizinho, boa – boazinha,

c) Palavras terminadas em som nasal.

Ex: mãe – mãezinha, pão – pãozinho, bom – bonzinho. 🙂

A gente

A gente

“A gente” é uma expressão popular para se referir à 1ª pessoa do plural (nós).

Quando usamos o pronome pessoal “nós”, o verbo vai para o plural.

Exemplos: nós falamos, nós bebemos, nós abrimos, nós vamos, nós fazemos, nós sabemos, nós queremos, nós preferimos.

Com a expressão “a gente”, o verbo fica no singular.

Exemplos: a gente fala, a gente bebe, a gente abre, a gente vai, a gente faz, a gente sabe, a gente quer, a gente prefere.

Muito obrigada pela visita. 🙂

Tamara Krzonkalla