Teste seu português! Ser ou estar?

Dando continuidade ao assunto do nosso último post – emprego dos verbos “ser” e “estar” – elaboramos um exercício para você colocar em prática o que aprendeu.

O exercício envolve questões com diferentes tempos verbais.

Ao terminar o exercício, você poderá conferir os acertos e erros, além da pontuação obtida.

Compartilhe seu resultado conosco.

Um abraço.

Tamara Krzonkalla

Emprego dos verbos “ser” e “estar”

Foto SER ou ESTAR 2.jpg

Você sabe empregar corretamente os verbos “ser” e “estar” em português?

No post de hoje, vamos apresentar um resumo para ajudar todos aqueles que ainda têm alguma dificuldade.

Emprego do verbo SER

Empregamos o verbo “ser” para indicar:

  • Nome – Exemplo: Meu nome é Paulo.
  • Nacionalidade – Exemplo: Eu sou brasileiro.
  • Estado civil – Exemplo: Ele é casado.
  • Profissão – Exemplo: Nós somos professores.
  • Endereço – Exemplo: Meu endereço é Rua B, 40.
  • Telefone – Exemplo: Meu telefone é 3318-6390.
  • Identificação – Exemplo: Aquilo é uma mesa.
  • Posse – Exemplo: O livro é meu.
  • Matéria – Exemplo: A calça é de algodão.
  • Sabor – Exemplo: O bolo é de laranja.
  • Origem – Exemplo: Manoel é de Portugal.
  • Destino – Exemplo: As flores são para ela.
  • Finalidade – Exemplo: O lápis é para escrever.
  • Direção – A rua é para lá.
  • Preço – O café é R$ 6,00.
  • Localização permanente – Copacabana é no Rio.
  • Tempo, horaSão três horas.
  • Características permanentes – Ela é simpática.

Emprego do verbo ESTAR

Empregamos o verbo “estar” para indicar:

  • Estados não permanentes – Exemplo: Hoje está frio.
  • Localização transitória – Exemplo: Ele está na universidade.
  • Posição – Exemplo: Ela está sentada na cadeira.
  • Vestuário – Exemplo: Ele está de terno.

Usamos também o verbo estar com o gerúndio para indicar uma ação se processando. Exemplo: Os rapazes estão jogando futebol.

Esperamos que o resumo tenha ajudado você a esclarecer suas dúvidas.

Um abraço.

Tamara Krzonkalla

 

No coquetel

Olá!

Mais um vídeo no nosso canal: No coquetel.

Neste vídeo você vai aprender a se comunicar em situações informais e formais, tais como: cumprimentos, pedidos de desculpa, apresentações, brindes, entre outras.

Um grande abraço.

Tamara Krzonkalla

 

Pedindo informações

Olá!

Você já assistiu ao último vídeo de Português ao Vivo?

Neste vídeo você vai aprender a pedir e dar informações em português.

Um grande abraço.

Tamara Krzonkalla

Uma mão lava a outra

uma-mao-lava-a-outra

Mais uma expressão idiomática: “uma mão lava a outra”.

O que significa?

“Uma mão lava a outra” remete à ideia de cooperação, de trabalho em equipe, de solidariedade.

Exemplos:

1- Aqui na nossa empresa todos trabalham em equipe. Uma mão lava a outra.

equipe-trabalhando-no-escritorio

2- João sempre ajuda Pedro nas lições de matemática e Pedro o ajuda nas lições de português. Uma mão lava a outra.

criancas-estudando

Muito obrigada pela visita. 🙂

Dia da Independência – 7 de setembro

Resultado de imagem para independencia do Brasil
D. Pedro I

A Independência é um dos fatos históricos mais importantes do Brasil, porque representa o fim do domínio português e a conquista da autonomia política.

Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro recebeu uma carta de Lisboa que exigia seu retorno imediato para Portugal. Há muito tempo os portugueses insistiam nessa ideia, pois pretendiam recolonizar o Brasil. D. Pedro respondeu que não voltaria.

Após este dia, D. Pedro começou a preparar o Brasil para a independência. Ele convocou uma Assembleia Constituinte, organizou a Marinha de Guerra e obrigou os soldados portugueses a voltarem para Portugal. Determinou também que nenhuma lei de Portugal seria cumprida sem a sua aprovação. O futuro imperador também chamou o povo para lutar pela independência.

Durante uma viagem entre Santos e São Paulo, D. Pedro recebeu outra carta de Portugal que anulava a Assembleia Constituinte e exigia seu retorno à Corte.

Resultado de imagem para independencia do Brasil
Grito de Independência

Após ler a carta, D. Pedro levantou a espada e gritou: “Independência ou morte!”. Este fato ocorreu no dia 7 de setembro de 1822 e marcou a Independência do Brasil. No mês de dezembro de 1822, D. Pedro I foi declarado Imperador do Brasil.

Resultado de imagem para independencia do Brasil
Coroação de D. Pedro I

(Texto adaptado)

Na peixaria

Olá!

Temos um novo vídeo no nosso canal: Na peixaria.

Um ótimo dia para todos! 🙂

Estar com a cabeça nas nuvens

Cebeça nas nuvens

Olá!
Você conhece a expressão idiomática “estar com a cabeça nas nuvens”?
Esta expressão popular significa “estar desatento/a” ou “estar fora da realidade”.
Exemplo: Aquela moça não presta atenção em nada. Está sempre com a cabeça nas nuvens.
Um ótimo dia a todos! 🙂

Dia dos namorados

Capa - Dia dos namorados

A versão mais conhecida sobre a origem do Dia dos Namorados vem da Roma antiga, no ano 498.

O imperador Cláudio II tinha proibido os casamentos durante as guerras, acreditando que solteiros eram melhores combatentes que casados.

Um padre chamado Valentim, lutando contra as ordens do imperador, continuou celebrando casamentos.

Além disso, Valentim também se casou secretamente, apesar da proibição do imperador. Por ter se recusado a renunciar ao Cristianismo, ele foi condenado à morte.

Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sentença, Valentim se apaixonou pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. Antes de partir, ele escreveu uma mensagem de adeus para ela, a qual assinava como “seu namorado”.

Outra versão diz que, no século XVII, ingleses e franceses passaram a celebrar o Dia de São Valentim como Dia dos Namorados. A data foi adotada um século depois pelos Estados Unidos, tornando-se o Valentine’s Day.

No Brasil, a celebração do Dia dos Namorados surgiu em São Paulo em 1949 numa iniciativa da loja Exposição Clíper. O publicitário João Dória, presidente de uma das grandes agências de publicidade do mundo, foi quem teve a ideia de celebrar o Valentine’s Day no Brasil. Sua iniciativa foi apoiada pelos comerciantes paulistas. No entanto, eles propuseram trocar a data para junho, época de baixas vendas na cidade. O dia escolhido foi o dia 12 de junho por ser véspera de Santo Antônio, o santo casamenteiro.

(Texto adaptado. Fonte: Guia dos curiosos)